Deixar a carreira de lado, ou não?



Num momento dessa nova jornada, a de ser mãe, a mulher (sei que algumas não pensam assim, mas vamos nos atinar nas que pensam) começa a sentir falta do bebê. Pensa comigo: tudo que você queria – antes de ser mãe - era reconhecimento profissional. Você batalhou por ele e finalmente conseguiu e ai no meio daquela reunião, hiper importante, você se lembra do cheirinho do seu baby, da risada dele e tudo que você quer naquele momento é pedir que: PAREM AS MÁQUINAS, porque você precisa ir pra casa!!! Mas, infelizmente, isso não é possível se você trabalha fora, em uma jornada pré-determinada de oito horas diárias. E ai, o que fazer?  Geralmente a mulher começa a se sentir insatisfeita, por mais que se esforce seus pensamentos estão tão sintonizados com seu lar, que ela, que era a primeira a chegar à empresa, começa a se atrasar, a desejar que o final de semana chegue logo. Desejar viver cada momento de descoberta do filho. Estar com ele em tempo integral.

Ai que vem aquela pergunta: Jogar tudo pro alto, ainda que temporariamente e dedicar-se em tempo integral ao pequeno ou aguentar firme e se desdobrar pra dar a ele todo carinho, atenção e amor que ele precisa?
Essa decisão que parece simples, pode enlouquecer uma pobre mãe, que se sente completamente perdida no meio desse furação de opções e desejos.
Então, o que fazer?
Primeiro temos que nos conscientizar que independente da escolha, haverá perdas e ganhos. Se optar por ser mãe em tempo integral, perderá algumas regalias, como seu dinheiro próprio, afinal ninguém curte ter que pedir dinheiro ao marido para comprar um absorvente, entre outras coisas que antes você nem se atentava, pois, quando precisava você comprava e pronto.
Porém, o ganhar dessa escolha é surpreendente. O que paga estar com seu filho quando ele dá o primeiro passo? Cai o primeiro dente? Fala a primeira palavra ou quando ele corre a procura de alguém para consola-lo por um dedo machucado e você está lá, ao seu alcance para acudi-lo (e dar aquele beijinho milagroso que faz a dor passar).
Mas, se você decidir continuar com sua carreira, perderá inevitavelmente alguns momentos, porque eles não têm hora pré-determinada pra acontecer (e sempre acontecem quando você não está presente, lembra da lei de Murphy? Então...), mas o ganho dessa escolha é poder dar ao seu filho um conforto extra. Seja uma escola onde ele tenha uma oportunidade de se desenvolver melhor ou férias em um lugar incrível.
O interessante é que a mamãe possa refletir e pesar na balança o que é melhor pra ELA. Até porque, o que é melhor pra mim nem sempre é melhor para a mamãe ao lado.
Se pra você, viajar com seu filho e colocar ele pra estudar em uma escola particular é o essencial, optar pela primeira opção só vai fazê-la infeliz, pois inicialmente pode parecer o certo, afinal que mãe não quer estar com o pupilo, mas com o tempo o corte no orçamento tomará seu espaço e a mamãe em questão sentirá o peso da escolha quando não puder pagar a tal escola ou não poder viajar para aquela ilha paradisíaca. Assim como se uma mamãe que quer curtir TUDO do seu pequeno escolher a opção dois, também enfrentará dificuldades, pois não se sentirá completa ao saber que a babá, a tia ou qualquer outra pessoa escutou a criança dizer suas primeira palavra, deu os primeiros passos ou ganhou o primeiro “galo” na testa.
Portanto, reflita, converse com seu companheiro sobre o que pensa e sente, faça sua escolha baseada nos seus sentimentos e assuma ela por inteiro.
Claro que em qualquer uma das situações vai bater um arrependimentozinho, mas se você tiver boas reflexões para embasar a sua escolha, esse arrependimento passa!!!! E ai é só alegria!



17 comentários:

  1. tive as duas experiência tem que ser bem pensado
    pois para não se arrepender
    eu estou amando ser mãe em tempo integral

    Nanda
    beijokas
    Lindo Dia
    Mamãe de Duas
    Google+Nanda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bacana, Nanda! Imagino a delícia que deve ser! Realmente tem que ser uma escolha bem pensada.

      Obrigada pela visita!
      Beijos

      Excluir
  2. Como eu tinha dois trabalhos precisei optar em deixar o que mais me tomava tempo que era dar aulas de dança e ter academia .. agora ficamos só com a empresa de eventos e trabalho em casa no home office, as vezes tendo que ir nos eventos colocar a mão na massa .. hehe ...ainda volto a dançar, mas só como hobby .. bjs

    Roberta Aquino
    Diário de uma Princesa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, eu já pensei muito nisso, em trabalhar "home office", não desisti da ideia ainda, mas por hora tive que adiá-la!
      Obrigada pela visita no meu cantinho!
      Beijos

      Excluir
  3. São coisas muito dificil mesmo
    Quem trabalha o dia todo fica com o coração na mão...
    Perde muita coisa do filho
    Mas é bom refletir , para não pesar na familia
    Ótimas dicas
    Bjus
    http://segredosdaluma.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Leteia! Perde mesmo, eu sei bem disso, curti muito os primeiros momentos da Lara, mas faz quase 4 anos que trabalho direto e perdi algumas passagens que queria ter participado!
      Mas estou pesando muito, para não me arrepender depois!

      Obrigada pela visitinha e pelo comentário!
      Beijos

      Excluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. é realmente uma decisão difícil... eu por exemplo quando tive a menina, não pude ser mãe em tempo integral e perdi muita coisa do seu desenvolvimento... em contra partida a situação era um pouco melhor que hoje já que parei e trabalhar fora depois que o menino nasceu e me dedico completamente a cuidar deles e da casa, mas seja qual for a decisão o importante e se sentir bem e feliz
    beijos Carlah Ventura - Intensa Vida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, é bem difícil mesmo. Mas acho que tudo tem o lado bom e o ruim, basta saber qual deles estamos dispostos a suportar!
      Obrigada pela visita!
      Beijos, querida!

      Excluir
  6. como vc mesmo disse depende de cada mãe, cada mulher é diferente e tem suas prioridades, e devemos respeitar todas. Eu escolhi ser mãe integral, claro tive perdas mas acho que tive muito mais ganhos! Adorei a reflexão!
    Bjos
    Tatty Nunes - Mãe de Primeira Viagem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Tatty, cada uma sabe onde o "calo aperta" né. Mas que bacana saber que você é mãe em tempo integral e que está feliz com esta escolha.

      Beijos

      Excluir
  7. As vezes penso em voltar a trabalhar, mas tbm n me imagino longe do Rafa então decidi acompanhar o crescimento dele.
    bjcas
    http://estou-crescendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei bem o que está passando, eu também tinha essa dúvida, quando ainda não trabalhava. Chega a ser torturante rsrsrs
      Obrigada pela visita, querida!
      Beijos

      Excluir
  8. Amiga, eu não penso em voltar a trabalhar fora, o blog hoje é minha fonte de renda, quero mesmo é curtir e está presente na vida do meu filho integralmente, mas admito que acho surpreendendo as mães que conseguem.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, Jamilly. Eu estou plantando algumas coisas agora pra colher exatamente isso, ter uma fonte de renda que me permita curtir cada momento do desenvolvimento da minha princesa!

      Obrigada pela visitinha e pelo recadinho!
      Beijos

      Excluir
  9. Eu parei por três anos, ou melhor, eu não parei.
    Aprendi uma nova profissão, ou melhor eu acumulei outra profissão, rs.
    Hoje sou também BLOGUEIRA :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, Cléo, bom saber que muitas mamães encontraram o lugar ao sol, e lugar este que permite elas cuidarem dos pequenos. Fico muito feliz por você! Beijos

      Excluir

Que bom que você nos visitou!
Deixe seu comentário, ele é muito importante :)
Beijos
Dedicação de Mãe